sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Efigénia do Carvalhal

Leonel Salvado

Ifigénia do Carvalhal de Sousa Teles Pimentel, como consta nos registos paroquiais, pergaminhos familiares e outros documentos, nasceu no dia 16 de Março de 1839 no lugar e freguesia de Veiga de Lila, concelho de Valpaços, numa das mais ilustres famílias da aristocracia de Trás-os-Montes aqui estabelecida desde o século XVII e cujas origens em Portugal remontam ao século XV.
Foi a primeira dos seis filhos do prestigioso Júlio do Carvalhal de Sousa Silveira Teles e Meneses, natural do lugar de Alanhosa, freguesia de S. Miguel de Nogueira, Chaves, e de sua primeira esposa, Maria da Piedade Ferreira Sarmento Pimentel de Lacerda e Lemos, natural de Carrazedo de Montenegro, ambos registados nos livros paroquiais como residentes e paroquianos de Veiga de Lila.
De todos os seis irmãos, apenas ela, Ifigénia do Carvalhal, Maria Adelaide e César (o mais novo e único varão) chegaram à idade adulta.
A prosperidade decorrente do considerável património da família, com casas e haveres nas localidades de Vilar de Nantes, Argeriz e Veiga de Lila, proporcionou a Ifigénia do Carvalhal esmerada educação e desprendida dedicação às Letras.
Foi Senhora de refinada cultura e escritora. Foi prima e companheira de infância do jovem talentoso escritor do género romântico em Portugal, Álvaro do Carvalhal de Sousa Silveira e Teles a quem, lamentavelmente, o destino reservou uma curta e dolorosa passagem pela vida. Entre os estudiosos dos “Contos” de Álvaro do Carvalhal, há quem saliente a possibilidade de o destino literário deste jovem escritor ter sido inspirado, desde a infância, em sua prima Ifigénia, cinco anos mais velha do que ele e ela própria apaixonada pela literatura romântica.
Ifigénia do Carvalhal de Sousa Teles é autora do romance “Clotilde” editado no Porto em 1869 pela Tipografia Pereira da Silva. Mais tarde, foi uma das colaboradoras do “Almanaque das Senhoras”, um periódico feminino do período romântico criado em 1870 e vocacionado para a leitura, a instrução e o recreio, com secções também dedicadas à poesia e à ficção.
Foi, por vontade de seu pai, falecido em 9.06.1872 na sua casa de Vilar de Nantes, e na qualidade de filha primogénita, ainda que solteira, a herdeira da Casa e Vínculo de Nossa Senhora dos Remédios de Veiga de Lila.
Casou no dia 12 de Setembro daquele mesmo ano, apenas cinco meses após a morte do pai, em Rio Torto, lugar e freguesia do mesmo concelho Valpaços, com Francisco António Teixeira de Morais Pimentel,  titular do antigo morgadio local que foi instituído em 1659, filho de Frederico Scipião Morais Teixeira Pimentel, natural da mesma freguesia, e de Ana Ludovina de Almeida e Sousa, natural de Santa Comba da Vilariça, Vila Flor. Efigénia do Carvalhal e Francisco de Morais Pimentel tiveram dois filhos que morreram de tenra idade.
Foi também Senhora dada a actos de beneficência vindo a integrar um ciclo muito restrito de valpacenses que receberam o honroso título de “benemérito”. Fez parte da Confraria de Nossa Senhora da Saúde em Valpaços na qual, em proposta apresentada em sessão da respectiva assembleia realizada em 19.05.1901, lhe foi atribuído o título de Irmã benemérita.
Nos últimos anos da sua vida, viúva e sem filhos, procurou assegurar a continuidade na família do Vínculo de Nossa Senhora dos Remédios de Veiga de Lila e de todos os seus bens, fazendo lavrar a necessária escritura de doação, sob reserva de usufruto, em favor de sua sobrinha Umbelina do Carvalhal. Não obstante, actualmente todo o património edificado e prdéios rústicos dos Carvalhais em Veiga de Lila encontra-se repartido por vários proprietários, alguns dos quais sem qualquer relação de parentesco com os actuais representantes da família Carvalhal.
Ifigénia do Carvalhal de Sousa Teles faleceu na sua terra natal no dia 22 de Janeiro de 1932, aos 93 anos de idade.
Lamentavelmente, ainda não foi ainda possível obter-se uma representação iconográfica mais adequada à sua personalidade (o seu retrato fidedigno) para poder figurar neste espaço, a Galeria de Notáveis do Clube de História de Valpaços com a dignidade que lhe é devida.


Fontes:
ARQUIVO DISTRITAL DE VILA REAL, Livro de Registos de Baptismos e Casamentos, freguesia de Veiga de Lila, concelho de Valpaços | http://etombo.com
CARNEIRO, Maria do Nascimento Oliveira,  O fantástico nos contos de Álvaro do Carvalhal, Lisboa: Instituto de Cultura e Língua Portuguesa, 1992|http://cvc.instituto-camoes.pt/conhecer/biblioteca-digital-camoes
SILVA, José António Soares da, O Partido Progressista de Valpaços, 1886-1910, edição da Câmara Municipal de Valpaços, 2006;
TELES, Fernando Eugénio do Carvalhal Sousa Teles, Árvore da geração da família dos Carvalhais e Bettencourts das Ilhas e sua Descendência |http://arvoredafamiliacarvalhal.blogspot.com
TELLES, D. Ephigenia do Carvalhal Sousa, Clotilde, Typographia Pereira da Silva, Porto, 1869 | htto://aleph20.letras.up.pt

1 comentário:

  1. Meu querido amigo Leonel, felicito-te por mais este valioso trabalho. Relativamente a uma foto de Ifigénia do Carvalhal, tenho boas notícias para ti.

    Grande abraço.

    José António

    ResponderEliminar