sábado, 16 de outubro de 2010

I Centenário do nascimento do Dr. Olímpio Seca

Monumento em homenagem ao Dr. Olímpio Seca, na Praça
com o mesmo nome, Valpaços
Guache de Leonel Salvado

É já no próximo dia 25 de Outubro que se celebram os 100 anos do nascimento desta singular figura histórica do concelho de Valpaços, uma data comemorativa que o Clube de História não quis deixar passar em claro, aproveitando para exortar os poderes instituídos e os vários meios de comunicação de modo a que, nesta data especial, o Dr. Olímpio dos Santos Seca mereça mais alguns actos ou mais algumas palavras de homenagem à altura do seu bom nome e da sua venerável obra.

O Dr. Olímpio Seca

No dia 25 de Outubro de 1910 nasceu em Vilarandelo, freguesia do concelho de Valpaços, distrito de Vila Real, no seio de uma família de moderados recursos, Olímpio dos Santos Seca. Aí fez a instrução Primária, ingressando depois no Colégio de Lamego, onde obteve a sua formação no Ensino Secundário, prosseguindo os seus estudos no Curso de Medicina da Universidade do Porto, sendo licenciado por essa Faculdade no ano de 1937.
Começou por se estabelecer e exercer a profissão médica na sua terra natal, construindo aí um consultório particular que escassos proventos financeiros lhe proporcionaram, devido aos parcos recursos económicos da população que a ele recorria em momentos de extrema aflição. Muitos dos pacientes, ao que parece, nem sequer possuíam condições para se deslocarem ao seu consultório, pelo que era o próprio médico, desde jovem, quem se propunha ir ao encontro deles nas localidades circunvizinhas, deslocando-se a pé, a cavalo e, quando se tornou possível, no seu próprio automóvel. Nesta penosaexperiência , mas assumida com abnegação como um dever pessoal, reflectiam-se já os traços essenciais da sua benigna personalidade , que manteve durante o resto da sua vida e ainda ecoa na Memória Colectiva da população do concelho de Valpaços.
Pelo que se extrai da sua biografia da autoria de Jorge Lage, publicada em “Press net Do Douro” e integrada no volume II da obra “Dicionário dos mais ilustres Transmontanos e Alto Durienses”, coordenada por Barroso da Fonte, o Dr. Olímpio Seca passou, em 1945 a exercer a mesma profissão na Casa do Povo de Vilarandelo, e em 1950 no Hospital da Misericórdia de Valpaços. Então, com singular dedicação e conhecida satisfação, tomou diligências no sentido de que aí funcionassem os necessários serviços de cirurgia, começando por convidar para assegurar essa responsabilidade um conceituado cirurgião portuense, Gomes de Almeida. Mais tarde conseguiu, com o mesmo fim, que o cirurgião, Mário Rafael e o anestesista Caiado Ferrão, ambos ao serviço do Hospital de Mirandela, se deslocassem com regularidade ao Hospital de Valpaços. De acordo com a mesma fonte, o Dr. Olímpio Seca foi também médico das Casas do Povo de Rio Torto, Vales e Zebras.
Ainda segundo Jorge Lage, “as suas ideias democráticas e o respeito que granjeou em Valpaços, tornam-no, em 1975, Presidente da Câmara Municipal de Valpaços, até às primeiras eleições autárquicas em 1976.
É do conhecimento geral que a sua vida se transformou numa Cruzada em luta pela defesa das populações das regiões mais carenciadas e que foi devido a essa luta que o nome do Dr. Olímpio Seca, falecido no dia 21 de Outubro de 1983, é ainda conhecido, e recordado com grande admiração, tanto por “ricos” como por pobres, como “O médico dos pobres”.

O “Médico dos pobres”
São inúmeras as referências que fazem jus a este epíteto atribuído ao Dr. Olímpio Seca, tanto as que nos ficaram dos discursos proferidos em cerimónias públicas realizadas em sua homenagem, como as que têm vindo a ser publicadas em vários meios de informação e comunicação impressa ou digital, sob a forma de “memórias locais”, como ainda as que ressaltam da espontânea oralidade popular, na qual, a propósito de tal cognome, há sempre uma comovente e admirável história para contar.

As Homenagens
Em 1985, o povo de Vilarandelo prestou homenagem ao Dr. Olímpio Seca, erigindo-lhe um busto no Largo da Feira. Entretanto, em Novembro de 1995 no Jornal Arauto de Vilarandelo publicou-se esta alegórica descrição do saudoso conterrâneo: “Um médico que foi sacerdote, sacerdote que também foi médico; nasceu pobre e não morreu rico".
A 11 de Novembro de 1996, a Câmara Municipal de Valpaços, com louvável deferência e empenho pessoal do seu Presidente, o Sr. Eng.º Francisco Tavares, seguiu o exemplo dos vilarandelenses, erguendo idêntico monumento num dos mais aprezíveis locais da  então vila, que foi para esse fim previamente sujeito a alguns arranjos de belo efeito arquitectónico e baptizado de “Praça Dr. Olímpio Seca”. No decurso deste acto solene, o Presidente da Junta de Freguesia de Valpaços, Gaspar Manuel Leitão Borges, legou aos valpacenses, num comovente discurso, um esboço biográfico do Dr. Olímpio Seca, realçando as suas principais virtudes e recordando as condições em que elas se revelaram. Desse discurso, transcrevo o seguinte excerto, que foi publicado na obra atrás mencionada, coordenada por Barroso da Fonte:

[…] As populações, principalmente as do interior, tinham carências vitais, de subsistência, de saúde, de acesso ao ensino e de liberdade. É neste contexto que Olímpio Seca desenvolve uma notável acção quer como médico, quer como cidadão interveniente e de compromisso na defesa dos valores de solidariedade, de liberdade e de humanismo actuante. Foi amigo do seu amigo, amigo dos seus doentes e, muito especialmente, amigo dos pobres, numa entrega generosa, fazendo jus à valorização do homem como pessoa em todos os locais e circunstâncias. Foi um humanista no dia-a-dia. Amou os pobres, dedicou-lhes a vida, o saber, as forças e até o dinheiro.

Mais recentemente, a 23 de Março de 2009, o Notícias de Valpaços proporcionava a informação de que o nome do Dr. Olímpio Seca havia sido exemplarmente invocado num jantar-convívio promovido dois dias antes pelo Rotary Club de Valpaços em homenagem ao seu filho, Dr. Manuel Jorge Castro dos Santos Seca, onde, num discurso proferido pelo Presidente desta virtuosa instituição, Taveira Pereira, se louvava o homenageado pela forma como se dedica à sua profissão e aos seus doentes, enquadrando-se no “lema rotário” que é o “Dar de Si antes de pensar em Si”. Ora, não foi esse também, no exercício da mesma "Missão", o lema assumido por seu pai? Foi neste sentido que, nessa mesma cerimónia, o Presidente da Junta de Freguesia de Vilarandelo, José Garcia Ferreira, se pronunciou a respeito do Dr. Manuel Seca, usando (e muito bem!) da metáfora “filho de peixe sabe nadar” para o distinguir como “um exemplar aprendiz dos valores superiores dados pelo pai", distinção essa que me parece bem merecida, por tudo aquilo que ouço contar acerca do bem que este estimado médico tem feito a muitos dos seus conterrâneos.

O testemunho de alguns memorialistas locais
Acham-se amiúde entre alguns “sites” locais, em breves exaltações de personalidades da terra ou em memórias avulsas que tive o prazer de ler, sentidos lamentos pela partida do Dr. Olímpio Seca e vincadas recordações das suas boas acções.
Asssim, por exemplo, em “Valpaços no Sapo”, sob o título “ilustres vilarandelenses”, pode ler-se: “Dr Olímpio Seca - o «médico dos pobres» que nunca tinha horas e mantinha sempre abertas as portas de sua casa, fosse para quem fosse e em que dia fosse!
No site oficial da Junta de Freguesia de Santa Valha, a memorialista Maria Raquel Barros Alves (Professora Aposentada) recordava assim, em Maio de 2009, entre os médicos já falecidos que antigamente se deslocavam a essa aldeia, bem como a outras do concelho, para a vacinação das crianças em idade escolar, o Dr. Olímpio Seca: “O Dr. Olímpio Seca, (já falecido) médico do povo, como lhe chamavam, pensamos também ter vacinado os alunos, deslocando-se às escolas do concelho. De grosso modo, todos eles nos deixaram muitas recordações”.
No mesmo site, Carlos Sá, reportando-se aos velhos tempos em que Santa Valha tinha “tudo menos electricidade” e se vivia “às escuras com as candeias a petróleo”, lembrava com exacerbada nostalgia: “Tínhamos um Padre, um Sacristão, uma Padaria, dois Professores, duas Escolas, três Alfaiates, dois Barbeiros, dois Ferreiros, um sóqueiro, duas moagens de azeitona, uma moagem de farinha, etc. Tínhamos o muito QUERIDO Dr. Olímpio Seca, sempre atencioso a consultar, e se a doença fosse urgente, de imediato havia sempre lugar no seu carro; a estrada de Vilarandelo a Pardelinha deveria levar o SEU nome. Tínhamos o "porco" de Santo António (nossa mascote) A TODOS estes e outros merecem que se fale, que se recorde, bons tempos.
Ainda na mesma fonte um memorialista de Pardelinha (aldeia anexa à freguesia de Santa Valha) que não me foi possível identificar, terminou assim as suas memórias: “Não podemos deixar de referir uma pessoa ilustre da terra (já falecida), que praticou o bem material e pessoal a esta aldeia, sobretudo ao seu povo, como médico, trazendo algum conforto naquela altura, o Dr. Olímpio Seca..., médico dos pobres como era conhecido. Não obstante residir em Vilarandelo, tinha uma das melhores casas agrícolas de Pardelinha.”
Muitas outras memórias e histórias sobre o “humanismo actuante” do Dr. Olímpio Seca poderiam aqui ser transcritas com igual legitimidade!

A família*
Olímpio dos Santos Seca nasceu, como já foi dito, em Vilarandelo, uma freguesia do concelho de Valpaços do distrito de Vila Real, no dia 25 de Outubro de 1910. Foi um dos dois filhos do segundo casamento de António Manuel dos Santos Seca com Maria Nogueira de Melo. Seu pai é ainda hoje recordado na vila como um respeitado homem de negócios que fazia regulares viagens à cidade do Porto. Olímpio dos Santos Seca teve uma irmã chamada Maria Alcina dos Santos Seca que casou com José Fama Balixa e deles houve dois filhos: Victor José dos Santos Seca Balixa e Ildeberto dos Santos Seca Balixa. Do primeiro casamento de seu pai com Teresa Fernandes, houve quatro filhos: Ildeberto Astério dos Santos Seca, Aurora dos Santos Seca, António Manuel dos Santos Seca Jr., nascido em 1889, e Américo dos Santos Seca, nascido em 1891.
Olímpio dos Santos Seca foi neto paterno de José Manuel dos Santos Seca, nascido em 1825 e de Maria Teixeira, e bisneto de João Baptista Gonçalves da Seca, nascido a 23 de Agosto de 1799 na freguesia de Babe, concelho e distrito de Bragança, e de Maria Martins, natural de Grijó de Parada, do mesmo concelho e distrito. As gerações anteriores a este bisavô paterno de Olímpio dos Santos Seca foram todas naturais do distrito de Bragança, repartindo-se entre Babe (mais representativamente) e Caravelas, até ao seu antepassado mais remoto aqui estudado, Domingos Gonçalves da Seca, que nasceu em Babe em 1640 e foi o sexto-avô do Dr. Olímpio Seca. Segundo os responsáveis pela investigação que serviu de base ao relatório abaixo mencionado, até à data do seu nascimento (1640) aquele “Domingos Gonçalves da Secca” «é o primeiro “secca” que aparece em todas as pesquisas efectuadas e com uma descendência muito bem definida». Como os mesmos investigadores sublinham, existem há muito, suspeitas (leia-se probabilidade) de os “secca” serem originários de Itália, mas isso só poderá confirmar-se através da continuação das pesquisas para os anos e décadas anteriores, remontando duas ou três gerações.
Uma nota curiosa a propósito do bisavô do Dr. Olímpio Seca, João Baptista Gonçalves da Seca, é a que o dá como tendo-se estabelecido na terra natal de sua esposa Maria Martins, Grijó de Parada, e se diz que ele aí “trabalhava no ferro”. Sendo esta, a possível designação do mister de ferreiro, poderá servir de indicador de uma eventual antiga tradição profissional dos “Secca”? De momento, a resposta para esta questão talvez só esteja ao alcance da própria família.
O Dr. Olímpio dos Santos Seca casou em 1945 com Maria Fernanda da Mota e Castro e do enlace nasceram três filhos: Maria Helena dos Santos Seca que casou com José Manuel Borda Rodrigues e deles houve dois filhos - Nuno Miguel Borda Rodrigues e Helena Isabel Seca Borda Rodrigues; Rui Manuel Castro dos Santos Seca que casou duas vezes, primeiro com Natália (…?), depois com Filomena (…?), havendo do segundo casamento dois filhos – Ricardo Castro Seca e João Pedro Castro Seca; Manuel Jorge Castro dos Santos Seca (a que já me referi na primeira parte desta publicação) que casou com Guiomar Pinto Coelho Lopo, havendo deles dois filhos – Luís Miguel Lopo dos Santos Seca e Luís Filipe Lopo dos Santos Seca.

*Os dados e nomes publicados neste espaço estão SUJEITOS A RECTIFICACÇÕES E ACRESCENTAMENTOS. Baseiam-se no Relatório Genealógico para “Domingos Gonçalves da Secca”, publicado por representantes da família Seca com base em pesquisas efectuadas através "The Complete Genealogy Reporter", “© 2006-2009 Nigel Bufton Software” sob licença de “ My Heritage Family Tree Builder “, do qual descendem os vários ramos da família “Secca” e particularmente o Dr. Olímpio dos Santos Seca. No referido relatório predomina a forma “Secca”, pelo que entendi actualizar a grafia. O relatório completo encontra-se publicado na Internet em formato pdf sob o seguinte url:

www.secca.info/.../domingosgoncalvessecca/Relatorio%20Domingos%20%20Goncalves%20da%20Secca.pdf
Pode-se também aceder ao site dos “Secca”, especialmente criado para a família, em todo o mundo, através do seguinte url:
http://www.secca.info/

6 comentários:

  1. Caro Leonel Salvado,
    1) como vilarandelense, fico grato por trazerem a este blogue uma personalidade como a do Dr Olímpio Seca.
    2) sugiro que façam as seguintes rectificações:
    a) onde se lê "No decurso deste acto solene, o Presidente da Junta de Freguesia de Vilarandelo, Gaspar Manuel Leitão Borges," substituir "Vilarandelo" por "Valpaços";
    b) onde se lê "Notícias de Valpaços" substituir "Notícias" por "Negócios";
    c) onde se lê "o Presidente da Junta de Freguesia, José Garcia Ferreira" deve ler-se "o Presidente da Junta de Freguesia de Vilarandelo, José Garcia Ferreira".
    Abs
    ps: se não virem inconveniente colocarei no meu blogue "Vilarandelo Um Dia Uma Imagem" uma cópia deste post no próximo dia 25 de Outubro. Grato

    ResponderEliminar
  2. Caro José Doutel Coroado,

    Agradeço-lhe as sugestões para as rectificações que me dirigiu e fico satisfeito por tê-lo feito de forma célere e amigável, pois no que respeita às incorrecções mencionadas nas alíneas a) e c) são na verdade "gafes" da minha parte, que lamento e não desejaria que assim permanecessem, em prejuízo da verdade e o rigor dos factos. Quanto ao que me sugere que faça em b) não vejo nenhuma razão para o fazer porque o "Notícias de Valpaços" foi efectivamente a fonte a que recorri acerca da respectiva informação,no post com a data que tive o cuidado de mencionar;
    http://noticiasdevalpacos.blogspot.com/2009/03/rotary-club-homenageia-dr-seca.html)
    Trata-se de uma reedição da reportagem de Cátia Mata, devidamente identificada, sobre o evento publicada na "Voz de Chaves".
    Em todo o caso, reafirmo a minha gratidão, manifestando o meu apreço por gestos construtivos como este (que, felizmente não é inédito)que só valorizam o nosso trabalho.

    Conheço o blogue "Vilarandelo Um Dia Uma Imagem" e estive para o inserir na nossa lista de "bolgues a seguir", na mesma ocasião em que o fiz com "Valpassos D'Oje", "Lebução de Valpaços" e "Botar a Boca no Trombone", portanto esteja à vontade para utilizar todo e qualquer dos nossos recursos ( a ideia é mesmo essa, a de saber e poder partilhar!)

    Bem-haja!

    ResponderEliminar
  3. Caro Leonel Salvado,
    grato pela autorização para "surripiar" o vosso post.
    Quanto à minha sugestão par alterar "Notícias" por "Negócios" tem toda a razão.
    Fui levado pelo facto de só acompanhar o agregador "Notícias de Valpaços" a partir de data muito posterior à da notícia em questão. Daí ter concluído, erradamente, que só poderia ser o "Negócios".
    abs

    ResponderEliminar
  4. Os meus mais sentidos e gratos parabéns por este artigo em honra de um Grande Médico, mas sobretudo um Grande Homem a quem o povo do Concelho de Valpaços muito deve.

    Foi o meu médico, em criança, era uma alma nobre e generosa, muito boa. Tinha uma cultura sem limite e sempre uma palavra amiga para todos. Era um homem justo, sempre pronto para ajudar o próximo, especialmente o mais desfavorecido.

    Bem haja, Prof. Leonel, por mais este brilhante post.

    ResponderEliminar
  5. Caro Eugénio Borges:

    Foi com grande satisfação que recebi o seu comentário com mais uma prova da imortalidade da grandeza humana do Dr. Olímpio Seca e com grande sentimento de gratidão pelo apreço que mais uma vez manifesta, através das suas motivadoras palavras, pelo meu trabalho (acrescendo o facto de ter sido uma das pessoas que intervieram neste blogue com comentários mais construtivos e colaborativos). O Dr. Olímpio Seca é também uma referência humana de especial admiração na minha família (aliás da parte da minha esposa), tal como o filho, Dr. Manuel Seca, graças ao qual o meu sogro conta hoje com 84 anos e goza de boa saúde, após duas complicadas intervenções cirúrgicas a que foi submetido nas últimas duas décadas, por enérgicas diligências pessoais tomadas por este médico.

    Bem-haja

    ResponderEliminar
  6. Nomes corretos dos dois filhos do Dr. Rui Manuel de Castro Seca:
    Ricardo Joao Martins Seca e João Pedro Martins Seca

    ResponderEliminar