domingo, 8 de maio de 2011

Fontes, chafarizes e marcos fontanários do concelho de Valpaços – Freguesia de Alvarelhos

Transcrição do texto e adaptação de fotos de Adérito Medeiros Freitas
Recriação gráfica pseudo-faiança de Leonel Salvado

Tema: Dados históricos sobre as fontes da freguesia de Alvarelhos | Objecto: prato
| Criação virtual e adaptação: Leonel Salvado
clique sobre a imagem para aumentar

A - Alvarelhos
I
Fonte de Mergulho

Tema: Fonte do Rio, Fonte de Mergulho ao Lugar do rio, Alvarelhos | Objecto: prato
Foto – base: Adérito M. Freitas | Criação virtual e adaptação: Leonel Salvado
clique sobre a imagem para aumentar

Localização: Alvarelhos
Lugar: Ao Rio
Altitude: 645 m   Longitude: 7º 20’ 17,5’’ W   Latitude: 41º 42’ 43,8’’ N
Ano de construção: Desconhecido
Material de construção: Granito equigranular de grão médio e duas micas, com intensa alteração química da biotite o que lhe confere uma cor amarelo-acastanhada

Características gerais: A planta interna, rectângula, mede 1,55 m de comprimento e 10,03 metros de largura. A sua profundidade é de, aproximadamente, 1,00 m. A nascente é local (água formigueira) e a água é límpida, abundante, fresca e considerada de boa qualidade. Devido ao levantamento do caminho que lhe passa em frente, foi instalado um tubo ligando a fonte ao Ribeiro que lhe passa próximo permitindo, assim, o escoamento da água e a sua contínua renovação. No Inverno, quando o nível do Ribeiro sobre, a água é impedida de sair e o seu nível no reservatório sobre também. A porta do reservatório mede 1,06 m de altura e 1,03 m de largura.
Devido, como referi, ao levantamento do pavimento da rua que lhe passa em frente, o acesso ao reservatório faz-se, actualmente, por meio de dois degraus, que fazem parte de uma área coberta e protegida por uma porta de grades de ferro que mede 1,65 metros de largura, 1,20 m de altura máxima (do lado esquerdo) e 90 cm de altura mínima (do lado direito). Esta área é coberta por duas lajes de granito. Destas, a laje frontal mede 2,50 m de comprimento, 62 cm de largura e 26 cm de espessura. O rebordo superior frontal desta laje de cobertura encontra-se elevado evitando, assim, que a água das chuvas escorra directamente para a fonte. Como referimos, esta cobertura descai da esquerda para a direita e esta disposição foi, sem sombra de dúvida, intencional. É que, por cima desta cobertura existe […] um espaço mais ou menos rectangular limitado por um muro posterior e dois muros laterais dos quais o da esquerda se dispõe a toda a largura e mede mais 62 cm de comprimento que o da direita. Estes três muros limitantes do referido espaço medem, respectivamente, 1,20 m de comprimento e 80 cm de altura (o posterior), 1,14 m de comprimento e 62 cm de altura (o do lado esquerdo) e 52 cm de comprimento e 1,00 m de altura (o do lado direito). […] Fica assim livre, do lado direito e em posição frontal, uma espécie de corredor em rampa com 62 cm de largura que, no parecer de algumas pessoas de Alvarelhos, teria como função permitir a entrada na propriedade situada a esse nível. Porque, a menos de 50 m da fonte, existe uma larga entrada directamente do caminho para a referida propriedade, não concordo com aquela explicação sobre a cobertura da Fonte do Rio. Na minha opinião, aquela estrutura realizou, no passado, uma função cultual, constituindo uma espécie de nicho de grandes dimensões relativas, destinado à divindade a que a fonte estava consagrada. Tal estrutura faria parte do projecto inicial da fonte e constituiria, de acordo com o pensamento da época, um elemento fundamental. Ainda na minha opinião o acesso a esta área de culto, para a celebração dos ritos usuais vigentes, far-se-ia do lado direito onde a altura ao solo é menor e admito mesmo a existência aí, outrora, de uma escada, móvel ou fixa!

Adérito M. Freitas, Concelho de Valpaços, FONTES DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA…, C.M.V., Vol. I, 2005, pp. 65-66.

II
Fonte de Mergulho

Tema: Fonte da Ribósia ao lugar da Ribósia. Alvarelhos | Objecto: prato | Criação digital e adaptação: Leonel Salvado
clique sobre a imagem para aumentar

Localização: Alvarelhos
Lugar: Ribósia
Altitude: 633 m   Longitude: 7º 20’ 10,2’’ W   Latitude: 41º 42’ 49,3’’ N
Ano de construção: Desconhecido
Material de construção: Granito equigranular de grão médio e duas micas, com intensa alteração química de biotite.

Características gerais: Fonte toda construída com lajes paralelepipédicas de granito das quais, as que formam as paredes laterais, medem 28 cm de espessura.
A planta interna, rectangular, mede 1,60 m de comprimento e 1,00 m de largura. A sua profundidade é de, aproximadamente, 1, 10 m. Digo aproximadamente pelo facto desta fonte se encontrar, actualmente, muito suja, com grande quantidade de terra e pedras no seu interior. A nascente é local (água formigueira) mas não é, presentemente, utilizada para consumo doméstico, mas apenas para outros fins e para rega.
Aporta, rectangular, mede 1,22 m de altura e 1, 00 de largura. A cobertura, plana e horizontal, é formada por duas lajes de granito com 20 cm de espessura, colocadas transversalmente. Sobre a laje de cobertura frontal encontram-se duas outras lajes de granito, lado a lado, colocadas de topo numa posição recuada mas paralela à padieira da porta e cuja função é, na minha opinião, a de evitar a entrada, para a fonte, da água das chuvas, uma vês que a cobertura se encontra, actualmente, ao nível da rua, inclinada, que lhe passa ao lado.
Frontalmente à porta e à distância de 1,12 m, encontra-se uma laje paralelepipédica constituindo uma espécie de degrau. Lateralmente, do lado direito da porta, encontra-se um bloco de granito com 1,32 m de comprimento, 30 cm de altura e 38 cm de largura cuja função seria a de servir de pouso para os cântaros e repouso para as pessoas.

Adérito M. Freitas, Id, pp. 67-68.

B – Lama de Ouriço
I

Fonte de Mergulho

 Tema: Fonte Velha, à Rua Central, Lama de Ouriço, Alvarelhos | Objecto: prato | Criação digital e adaptação: Leonel Salvado
clique sobre a imagem para aumentar

Localização: Lama de Ouriço
Lugar: Rua Central
Altitude: 696 m   Longitude: 7º 20’ 20,3’’ W   Latitude: 41º 42’ 06,7’’ N
Ano de construção: Desconhecido
Material de construção: Granito equigranular de grão médio a grosseiro, com moscovite e biotite e cor amarelo-acastanhada devido a intensa alteração química deste último material.

Características gerais: A planta interna, rectangular, mede 1,75 m de comprimento e 80 cm de largura. A profundidade do reservatório é igual a 85 cm.
A porta, presentemente protegida por uma estrutura de ferro pintada, de duas folhas, mede 80 cm de altura e 1,01 m de largura.
A cobertura é formada por um conjunto de lajes de granito toscamente aparelhadas. A frontal mede 1,60 m de comprimento, 45 cm de largura e 14 cm de espessura. De um e outro lado e por cima da fonte, existe um muro de suporte de um terreno de cultura, formado por blocos de granito mais ou menos irregulares, sem qualquer tipo de aparelho e de reduzidas dimensões. As que se encontram imediatamente por cima da laje de cobertura frontal, dispõem-se em arco de grande raio de curvatura. Em 2002, estas pedras limitantes da fonte encontravam-se simplesmente justapostas, sem qualquer reboco. Em Setembro de 2003 e como a fotografia documenta, todos os espaços entre elas se encontravam, já, colmatadas com cimento.
Na rua que lhe passa em frente (Rua Central), do lado direito da porta e encostada ao muro de suporte de terras referido informaram-me ter existido, outrora, uma pia bebedouro de granito que mediria, aproximadamente, 1,50 m de comprimento e 60 cm de largura. Não consegui obter qualquer informação quanto ao seu paradeiro actual.

No centro da aldeia de Lama de Ouriço, no Largo da Fonte, existiu outrora outra Fonte de Mergulho, toda construída com lajes paralelepipédicas de granito, que formavam as suas paredes laterais e posterior, bem como a cobertura. Na opinião das pessoas com quem conversei, era a mais bonita das três fontes então existentes nesta localidade. A cobertura seria constituída por duas lajes colocadas transversalmente, originando um tecto plano e horizontal.
A nascente não era local, pois que a água, proveniente certamente de uma mina, atingia o reservatório da fonte através de uma caleira de granito. Em 1964 a fonte foi parcialmente destruída encontrando-se, a porção inferior da sua estrutura e a caleira referida, hoje soterradas.
De acordo com as informações recolhidas, esta fonte teria as seguintes coordenadas:
Altitude: 703 m   Longitude: 7º 20’ 22,6’’ W   Latitude: 41º 42’ 06,4’’ N

 Adérito M. Freitas, Id, pp. 69-70.

II
Fonte de Mergulho

 Tema: Fonte do Ribeiro, ao Ribeiro, Lama de Ouriço, Alvarelhos | Objecto: prato | Criação digital e adaptação: Leonel Salvado
clique sobre a imagem para aumentar

Localização: Lama de Ouriço
Lugar: Ao Ribeiro
Altitude: 693 m   Longitude: 7º 20’ 23,1’’ W   Latitude: 41º 42’ 10,2’’ N
Ano de construção: Desconhecido
Material de construção: Granito equigranular de grão médio e cor clara, com moscovite e biotite.

Características gerais: A planta interna, rectangular, mede 1,60 m de comprimento e 95 cm de largura. A profundidade do reservatório é igual a 1, 04 m.
A porta, rectangular, mede 1,02 m de altura e 95 cm de largura.
A cobertura, muito robusta, é formada por duas grandes lajes de granito, colocadas transversalmente. A laje anterior mede 1,40 m de comprimento, 80 cm de largura e 20 cm de espessura. A esta laje corresponde uma porção do tecto mais elevada, característica que favorece o acesso à fonte. A laje posterior mede, também, 1,40 m de comprimento e 65 cm de largura. Devido à sua maior espessura que a da laje anterior, a porção do tecto que lhe corresponde está rebaixada 20 cm.
Em frente da fonte existe um recinto rectangular, limitado por blocos paralelepipédicos de granito e blocos de cimento, que mede 1,20 m de comprimento e 95 cm de largura. À semelhança do que se passa com outras fontes, julgo que estes muros laterais se destinavam a pouso para cântaros e bancos para repouso das pessoas. Primitivamente nestes muros só existia granito. Os blocos de cimento constituem elementos de poluição estrutural deste património e, por isso, proponho que os mesmos sejam removidos!...

Adérito M. Freitas, Id, pp. 71-72.

Sem comentários:

Enviar um comentário